Advanced Consulting Line

FCO tem mais R$ 427,56 milhões e pode contratar R$ 1,5 bilhão este ano

As contratações do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) em Goiás este ano deverão chegar a R$ 1,5 bilhão, superando o valor aplicado em 2008, que atingiu R$ 1,369 bilhão. O anúncio foi feito hoje (28/10) pelo governador Alcides Rodrigues, enfatizando que Goiás superou, finalmente, a escassez de recursos orçamentários do Fundo neste ano, em decorrência das isenções de IPI e IR concedidas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para amenizar os efeitos da crise econômica. As medidas foram benéficas para o País, mas acabaram descapitalizando o FCO.

Conforme o governador, que fez o anúncio dos resultados positivos conjuntamente com o Banco do Brasil, na presença dos integrantes do Conselho de Desenvolvimento do Estado (CDE/FCO), bem como de lideranças empresariais e políticas, o bom desempenho é resultado do esforço conjunto do governo e da iniciativa privada, bem como do Banco do Brasil e dos gestores do Fundo que têm se empenhado na aplicação ágil e qualificada dos recursos, contribuindo para o constante desenvolvimento do Estado de Goiás.

O aumento do volume de recursos do FCO decorre da redivisão do bolo geral do Fundo, considerando os recursos disponíveis e que não foram aplicados pelos Estados do Centro-Oeste até 30 de setembro. Com isso, Goiás terá um montante extra de R$ 427,561 milhões. Além disso, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) criou a linha de crédito denominada Programa de Sustentação de Investimentos (PSI), pela qual financia ativos fixos como máquinas, equipamentos, implementos agrícolas e outros tipos de negócios, com juros compatíveis com as taxas praticadas pelo FCO e, em alguns casos, até mais baixos. Calcula-se que até o fim do ano, os recursos do PSI aplicados em Goiás poderão somar R$ 290 milhões. Desse modo, as contratações para o financiamento de empreendimentos produtivos em Goiás poderão superar R$ 1,5 bilhão em 2009.

Ousadia

Durante a cerimônia de anúncio dos números relativos à redivisão dos recursos do FCO, o governador Alcides Rodrigues destacou a ousadia do empresariado goiano em implantar projetos produtivos, capazes de gerar emprego e renda. Alcides Rodrigues fez um retrospecto das dificuldades enfrentados pelo FCO, já que o orçamento para este ano era de apenas R$ 780 milhões. Como em 2008 havia sido aplicados R$ 1,369 bilhão, o montante para este ano apresentava uma queda de superior a 40%.

Por conta dessa situação, foi desencadeado um amplo trabalho de mobilização das lideranças empresariais que, conjuntamente com o governo, desenvolveu uma verdadeira maratona de visitas aos ministros da área econômica, ao presidente do Banco Central e à direção do Banco do Brasil, em Brasília. “Os bons resultados são agora colhidos, porque o BNDES criou linha de crédito que está absorvendo boa parte das demandas represadas no FCO. Além disso, temos a boa notícia da redivisão dos recursos, que dá a Goiás um montante extra superior a R$ 427 milhões”, ressaltou Alcides Rodrigues.

O secretário Oton Nascimento lembrou que, do ponto de vista orçamentário, a situação era complicada especialmente porque nos momentos de crise uma das medidas recomendadas pelos economistas é o aumento do crédito. Em relação ao FCO ocorria o contrário. Contudo, graças ao esforço dos empresários e o empenho do governo, o quadro foi revertido e as contratações deste ano devem superar as de 2008. O presidente da Federação das Indústrias, Paulo Afonso Ferreira, que falou em nome do Fórum Empresarial, enalteceu o empenho do governo em aumentar a disponibilidade de crédito para os segmentos produtivos, acrescentando que o empresariado, quando dispõe dos meios adequados, oferece sua contribuição ao Estado na geração de emprego e renda, no pagamento de tributos e na expansão dos negócios.

Divulgação

Ao longo deste ano, a Seplan, por meio da Coordenação de Conselhos, em parceria com o Sebrae-Goiás, Banco do Brasil, Agência de Fomento e outras entidades, desenvolveu uma verdadeira maratona de seminários do FCO e Sebrae Itinerante, reuniões ordinárias itinerantes do CDE/FCO e palestras técnicas, com o objetivo de divulgar as linhas de crédito do Fundo e estimular mais empresários e empreendedores a buscarem recursos para o financiamento de seus projetos produtivos. O resultado dessas ações foi a realização de atividades do FCO em 36 municípios de todas as regiões do Estado, nos quais houve participação de mais de 7 mil pessoas, em especial empresários, potenciais empreendedores, lideranças classistas e lideranças políticas. Com isso, a demanda por recursos teve significativo incremento. Daí a perspectiva concreta de que as contratações possam superar R$ 1,5 bilhão este ano no Estado.

Os eventos do FCO foram levados ao longo do ano aos seguintes municípios: Aruanã, Pontalina, Bom Jeseus, Petrolina, Luziânia, Catalão, Planaltina, Quirinópolis, Goiandira, Brazabrantes, Nerópolis, Iporá, Gouvelândia, Santo Antônio do Descoberto, Piracanjuba, Goiatuba, Caiapônia, Fazenda Nova, Santa Helena, Formosa, Caldas Novas, Pirenópolis, Jussara, Jataí, Montividiu, Alto Paraíso, Pires do Rio, Rio Verde, Cristalina, Águas Lindas, Goianésia, Ceres, Valparaíso, Uruaçu e Itumbiara (segundo evento). Ao todo, mais de 7 mil pessoas, em especial empresários e potenciais empreendedores participaram das atividades do FCO.

FONTE: SEPLAN



Av. Anhanguera no. 5.674 – Sala 1.002 – Setor Central – Goiânia-GO – Fone: (62) 3945-2874 – 3945-2879

www.aclconsultoriaeconomica.com.br

Todos os direitos reservados - Desenvolvido por: Getec WebShow 2009